News

O único escritório não anglo-saxónico que se impôs na história deste prémio

Garrigues, “Empresa internacional do ano” nos prémios da The Lawyer

06/22/2010

A Garrigues ganhou o prémio de “Empresa internacional do ano”, nos galardões atribuídos anualmente pela publicação jurídica britânica The Lawyer. A Garrigues converte-se, assim, no único escritório não anglo-saxónico que se consegue impor nesta categoria, desde que foi criada há cinco anos. Nesta edição, a Garrigues competia com cinco grandes sociedades norte-americanas: a Weil Gotshal & Manges (que ficou em segundo lugar), Paul Hastings (terceiro), bem como a Hogan Lovells, a Debevoise & Plimpton e a Quinn Emanuel.

A Garrigues ganhou o prémio de “Empresa internacional do ano”, nos galardões atribuídos anualmente pela publicação jurídica britânica The Lawyer. A Garrigues converte-se, assim, no único escritório não anglo-saxónico que se consegue impor nesta categoria, desde que foi criada há cinco anos. Nesta edição, a Garrigues competia com cinco grandes sociedades norte-americanas: a Weil Gotshal & Manges (que ficou em segundo lugar), Paul Hastings (terceiro), bem como a Hogan Lovells, a Debevoise & Plimpton e a Quinn Emanuel.

Fernando Vives e Ricardo Gómez, sócios diretores da Garrigues, valorizaram a importância deste galardão: “As características deste prémio reconhecem que os escritórios da Europa continental são absolutamente comparáveis com os anglo-saxónicos e, em especial, que a Garrigues é muito mais do que uma sociedade ibérica; é uma sociedade internacional”.

Os galardões foram entregues ontem à noite, na capital britânica, numa cerimónia que reuniu os principais atores do mercado jurídico internacional. Estiveram presentes cerca de 1500 advogados. O sócio responsável de Londres, Guillermo Múñoz Alonso, foi o encarregado de receber o prémio em representação da Garrigues.

O júri, formado por importantes advogados das melhores sociedades britânicas e de empresas multinacionais, bem como pela equipa editorial da The Lawyer, assinalou – em referência à Garrigues – que “a bem sucedida sociedade da Europa continental se impõe pela sua destacada expansão internacional em mercados como o da América Latina”. Juntamente com a visão estratégica internacional da Garrigues, o júri também valorizou outros aspetos, como a importância das operações realizadas ao longo do ano e os seus sólidos resultados.

Para selecionar os vencedores, foi levado a cabo um exaustivo processo de investigação, através de centenas de entrevistas a especialistas do setor. Este ano foi especialmente competitivo, devido ao recorde de candidaturas recebidas.

Os prémios atribuídos pela The Lawyer no Reino Unido são uma referência de qualidade no setor legal, há mais de quinze anos. Não é a primeira vez que a publicação britânica reconhece o trabalho da Garrigues. Em Novembro de 2009, o escritório foi duplamente galardoado com os prémios de “Empresa Europeia do Ano” e “Empresa do Ano na Península Ibérica”, na primeira edição dos galardões organizada pela revista britânica para a Europa.

Share

  • Share in LikendIn
  • Share in Facebook
Attached images:
  • Garrigues competia com cinco grandes sociedades norte-americanas: a Weil Gotshal & Manges, Paul Hastings, Hogan Lovells, a Debevoise & Plimpton e a Qu